Etapas de Produção da Unidade Puma

FLUXO DE PRODUÇÃO DE CELULOSE

RECEPÇÃO DA MADEIRA

A fábrica recebe madeiras de pínus e eucalipto, que chegam por caminhões ao Pátio de Madeira.

PREPARO DA MADEIRA

Na Klabin, as toras de madeira são transportadas com casca até a fábrica, onde são descascadas e picadas, formando pilhas de cavacos. As cascas que são removidas no processo de descascamento, seguem para os trituradores e são armazenadas no silo de biomassa. Posteriormente, alimentam a caldeira de força.

COZIMENTO

Os cavacos são submetidos a cozimento em alta temperatura no digestor, com a adição do licor branco e, após o digestor, a polpa é lavada, deslignificada (processo de extensão do cozimento com a utilização de soda cáustica e oxigênio) e depurada, em que os cavacos não cozidos são separados da polpa. O licor preto que se forma nos processos de cozimento do eucalipto e do pínus, que contêm lignina e outros extrativos, bem como o licor branco reagido, seguem em um único fluxo para o processo de recuperação.

BRANQUEAMENTO

Para a linha de eucalipto – A polpa de celulose de fibra curta (eucalipto) é submetida a branqueamento por processo químico em três estágios.
Para a linha de pínus – A polpa de celulose de fibra longa (pínus) é submetida a branqueamento em quatro estágios, devido à maior resistência desta fibra à reação química.

SECAGEM

Para a linha de eucalipto – Após secagem, a polpa de celulose de fibra curta é transformada em fardos.
Para a linha de pínus – Após secagem, a polpa de celulose de fibra longa pode ser transformada em fardos ou em bobinas de celulose fluff.

EXPEDIÇÃO

Os fardos de celulose de fibra curta e de fibra longa e as bobinas de celulose fluff seguem, embalados, para estoque e expedição, de onde são transportados via rodoviária para clientes locais e por ferrovia até o Porto de Paranaguá (PR) para exportação.

FLUXO DE RECUPERAÇÃO

EVAPORAÇÃO

O licor preto gerado no processo de cozimento das linhas de celulose de fibra curta (eucalipto) e de fibra longa (pínus) passa pelo processo de evaporação, onde é concentrado a 80% de sólidos.

QUEIMA (duas caldeiras: recuperação e biomassa)

A queima do licor preto concentrado acontece na caldeira de recuperação. A porção orgânica do licor preto que entra em combustão gera vapor, que alimenta o processo e também se converte em energia elétrica nos turbogeradores. A porção inorgânica (smelt) segue para o processo de caustificação, para gerar licor branco novamente para o digestor. As frações de madeira e as cascas não aproveitadas no processo de celulose, a partir do preparo da madeira, são queimadas na caldeira de biomassa, que produz vapor para a geração de energia, nos mesmos turbogeradores.

CAUSTIFICAÇÃO E FORNOS DE CAL

Processo de recuperação do smelt, que forma o licor verde e regenera o licor branco, que volta para a etapa de cozimento do processo de produção da celulose.

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

A capacidade de produção de energia elétrica é de 270 MW. 120MW serão utilizados pela Klabin e 150 MW serão disponibilizados no Sistema Elétrico Brasileiro.