Memória Klabin

Em mais de cem anos de existência, a Klabin produziu acervos documentais únicos. Durante esse tempo, incentivar e preservar o registro histórico tornou-se um diferencial importante no contexto dos negócios, já que podemos visualizar nossa vasta experiência em uma linha do tempo e do espaço, com as consequências de decisões no passado e os resultados de ações no futuro.

Sócios fundadores de Klabin Irmãos & Companhia - KIC com familiares e funcionários da Companhia Fabricadora de Papel - CFP em frente de prédio da fábrica.

Equipe

O Memória Klabin conta com uma equipe de historiadores com especialização na gestão da informação e de arquivos.

Flávia Borges Pereira – Supervisão geral
Luiz Peixeiro – Coordenação técnica

Atendimento ao público externo

De segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, por e-mail.

Acervo

O acervo tem sua origem desde a fundação da empresa, em 1899, até os dias de hoje. Ele está dividido em um fundo arquivístico aberto - Klabin S.A. - e quatro fundos arquivísticos fechados:

  • Klabin Irmãos & Companhia
  • Manufatura Nacional de Porcelana
  • Sociedade Anônima Jardim Europa
  • Fábrica Universal de Fósforos Promocionais

Além dos fundos, o acervo também mantém cinco coleções, reunidas por doações de ex-colaboradores ou pessoas próximas a eles, à empresa ou à família Klabin, assim como, instituições culturais com acervos arquivísticos, que doaram documentos de imagem e textuais relacionados à família Klabin:

  • Família Klabin Lafer e a São Paulo na Bélle Époque
  • Período pré-construção da fábrica de Indústrias Klabin do Paraná de Celulose
  • Cotidiano na Fazenda Monte Alegre
  • Coleção Karl Zappert
  • Cotidiano do município de Telêmaco Borba

Os gêneros documentais que os pesquisadores encontrarão nos fundos e coleções são:

Constituído por vídeos institucionais e sobre os negócios da Klabin e depoimentos coletados entre colaboradores e ex-colaboradores. Destacam-se neste acervo as filmagens realizadas na década de 1950 e 1960 do cotidiano na Unidade Monte Alegre, assim como, a visita de Getúlio Vargas, em 1953. No ano de 2011, todos os rolos de 8mm e 16mm, VHS, Betacam, Umatic e K7 foram digitalizados.

Constituído pelo registro fotográfico dos primeiros anos da empresa e seus fundadores; a construção das primeiras fábricas e máquinas; o cotidiano das unidades da Klabin, suas instalações e maquinários; os projetos de expansão; colaboradores e ex-colaboradores; produtos; os programas de educação ambiental e sustentabilidade. Também é parte integrante deste acervo a coleção de plantas e mapas das unidades da Klabin. Os destaques neste acervo são as fotos produzidas, na década de 1950, pelos fotógrafos Peter Scheier e Jean Manson, na Fazenda Monte Alegre e os álbuns do engenheiro Ignácio Sporn, uma preciosidade que registra, passo a passo, desde os primeiros trabalhos topográficos na fazenda até a sua conclusão, em 1946.

Constituído pelos documentos textuais referentes à administração da empresa, representando toda a rotina de diversas áreas da empresa: diretoria, comunicação etc. Os mais destacados acervos textuais são documentos da administração nos primeiros anos da empresa, como o exemplar da correspondência trocada entre Maurício Klabin e Wolff Klabin sobre negócios da empresa, em ídiche, e os primeiros papeis timbrados da Klabin Irmãos & Companhia e da Companhia Fabricadora de Papel. Neste acervo estão os relatórios de atividades da Klabin, folders e folhetos de divulgação de produtos, que retratam a evolução dos negócios e de seus programas de educação ambiental e sustentabilidade.

Dois importantes dossiês compõem ainda este acervo, os dos projetos de expansão IV, para a construção da máquina nº 7, e o do Projeto de Expansão MA – 1100, que colocou a Unidade Monte Alegre entre as dez maiores fábricas de papel do mundo, e a Klabin entre os seis maiores fabricantes globais de cartões de fibras virgens (fibras não recicladas). Nova máquina de papel (a MP9) duplicou a produção de papelcartão em um processo caracterizado por iniciativas de eficiência energética e ambiental. A capacidade da fábrica foi elevada de 700 mil para 1,1 milhão de toneladas/ano.

Constituído por antigos equipamentos utilizados nas fábricas de papel da empresa, como a Companhia Fabricadora de Papel, e nos primeiros anos do Grupo, nas suas áreas administrativas. Destaca-se aqui, uma máquina de escrever Remington, do início do século XX.

Metodologia

O acervo pertencente ao Memória Klabin foi resgatado ao longo de seus mais de 20 anos de existência, a partir da transferência dos documentos de valores históricos.

Após a prospecção nas unidades fabris e suas áreas - com visitas às plantas e entrevistas - os documentos são remetidos ao Centro de Memória, onde passam por uma seleção e organização, seguindo o seu Quadro de Arranjo, respeitando a sua proveniência.

Os documentos então são catalogados e disponibilizados para consulta no banco de dados, onde, além de ter acesso às informações, o pesquisador poderá ter acesso ao arquivo digitalizado. Para finalizar, eles são higienizados e acondicionados em materiais apropriados, sendo guardados em mobiliário adequado, com a sala da reserva técnica sob a temperatura adequada para a preservação dos documentos.

Instituições Culturais

Instituições culturais parceiras do Memória Klabin e que preservam a memória da família Klabin: