Meio ambientee Biodiversidade

Além de estar no DNA da Klabin, a preservação do Meio Ambiente significa pesquisas científicas, preservação de matas e animais
em extinção e o crescimento sustentável de comunidades próximas a nossas áreas de atuação.

Todas as operações da Klabin consideram em sua estratégia aspectos de gestão ambiental, presentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), como água, energia, mudanças climáticas e biodiversidade. Com isso, a companhia reforça seu compromisso com a conservação dos recursos naturais, com a busca pela redução do uso de recursos não renováveis, o controle de impactos ambientais e o monitoramento da biodiversidade, por meio da conservação da fauna e flora das florestas onde a empresa opera.
A unidade produz mais energia do que consome. Com isso, a empresa pode disponibilizar o excedente para venda no Sistema Elétrico Brasileiro, o que contribui para a geração de receita, ao mesmo tempo que colabora para uma matriz energética nacional mais limpa.
A redução de emissões atmosféricas é um dos itens da Política de Sustentabilidade da Klabin e também está prevista no ODS 13. Com o aumento do uso de combustível de fonte renovável, a empresa contribui para diminuir a emissão de gases de efeito estufa (GEE).
A Klabin segue a aplicação do princípio da precaução estabelecido na Conferência Eco-92 e avalia constantemente todos os aspectos que apresentam riscos ao meio ambiente. Entre os potenciais riscos mapeados estão o aumento médio de temperatura e índices de chuva; incremento de eventos extremos como vendavais e tempestades; diminuição de geadas e o aparecimento de novas pragas florestais.
A Klabin segue a aplicação do princípio da precaução estabelecido na Conferência Eco-92 e avalia constantemente todos os aspectos que apresentam riscos ao meio ambiente. Entre os potenciais riscos mapeados estão o aumento médio de temperatura e índices de chuva; incremento de eventos extremos como vendavais e tempestades; diminuição de geadas e o aparecimento de novas pragas florestais.
Nessa etapa, é feito um tratamento complementar, o que confere mais qualidade ao efluente a ser descartado, com menor quantidade de DQO e fósforo. Todas as unidades da empresa atendem aos limites legais para descarte de efluentes. Após passarem pelas Estações de Tratamento, os efluentes são descartados na rede de coleta de esgoto municipal ou em rios.
A gestão de resíduos perigosos na Klabin pode seguir quatro destinações: reciclagem, aterros Classe 1, descontaminação ou utilização como combustíveis ou incineração. Todas essas medidas estão em linha com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei 12.305/10), voltada à redução da geração de resíduos sólidos e ao correto manuseio e descarte desses materiais.

Unidade Puma

A Unidade Puma, em Ortigueira (PR), conta com tecnologia ambiental de ponta para consumo de água, tratamento de efluentes, emissões atmosféricas e redução do uso de insumos, atingindo padrões de controle ambiental mais rigorosos do que os previstos na legislação.

Compromisso com a conservação dos recursos naturais
Todas as operações da Klabin consideram em sua estratégia aspectos de gestão ambiental, presentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), como água, energia, mudanças climáticas e biodiversidade. Com isso, a companhia reforça seu compromisso com a conservação dos recursos naturais, com a busca pela redução do uso de recursos não renováveis, o controle de impactos ambientais e o monitoramento da biodiversidade, por meio da conservação da fauna e flora das florestas onde a empresa opera.
Gestão de energia prioriza matriz renovável
A unidade produz mais energia do que consome. Com isso, a empresa pode disponibilizar o excedente para venda no Sistema Elétrico Brasileiro, o que contribui para a geração de receita, ao mesmo tempo que colabora para uma matriz energética nacional mais limpa.
Emissões de gases de efeito estufa
A redução de emissões atmosféricas é um dos itens da Política de Sustentabilidade da Klabin e também está prevista no ODS 13. Com o aumento do uso de combustível de fonte renovável, a empresa contribui para diminuir a emissão de gases de efeito estufa (GEE).
Mudanças climáticas
A Klabin segue a aplicação do princípio da precaução estabelecido na Conferência Eco-92 e avalia constantemente todos os aspectos que apresentam riscos ao meio ambiente. Entre os potenciais riscos mapeados estão o aumento médio de temperatura e índices de chuva; incremento de eventos extremos como vendavais e tempestades; diminuição de geadas e o aparecimento de novas pragas florestais.
Foco no uso racional e reutilização de água
A Klabin segue a aplicação do princípio da precaução estabelecido na Conferência Eco-92 e avalia constantemente todos os aspectos que apresentam riscos ao meio ambiente. Entre os potenciais riscos mapeados estão o aumento médio de temperatura e índices de chuva; incremento de eventos extremos como vendavais e tempestades; diminuição de geadas e o aparecimento de novas pragas florestais.
Eficiência das Estações de Tratamento de Efluentes
Nessa etapa, é feito um tratamento complementar, o que confere mais qualidade ao efluente a ser descartado, com menor quantidade de DQO e fósforo. Todas as unidades da empresa atendem aos limites legais para descarte de efluentes. Após passarem pelas Estações de Tratamento, os efluentes são descartados na rede de coleta de esgoto municipal ou em rios.
Gestão de resíduos
A gestão de resíduos perigosos na Klabin pode seguir quatro destinações: reciclagem, aterros Classe 1, descontaminação ou utilização como combustíveis ou incineração. Todas essas medidas estão em linha com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei 12.305/10), voltada à redução da geração de resíduos sólidos e ao correto manuseio e descarte desses materiais.

Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN)

A Klabin possui Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) no Paraná e em Santa Catarina, dedicadas exclusivamente a estudos científicos, proteção ambiental e preservação dos recursos hídricos, contribuindo para a conservação da biodiversidade no bioma Mata Atlântica.

RPPN Complexo Serra da Farofa (SC)
Localizada em Santa Catarina, é a maior RPPN da Klabin. O Complexo tem quase cinco mil hectares de área remanescente da Mata Atlântica, com floresta de araucárias e campos de altitude, e abriga as nascentes dos rios Caveiras e Canoas. A RPPN é destinada à realização de pesquisas científicas, ao manejo de recursos naturais e à manutenção do equilíbrio climático e ecológico.

RPPN de Monte Alegre (PR)
Localizada na Fazenda Monte Alegre, em Telêmaco Borba, no Paraná, em uma área de 3.852 hectares, também é uma plataforma para realização de pesquisa científica, proteção da biodiversidade local e dos recursos hídricos, além de fornecer sementes de espécies florestais para a restauração de áreas degradadas e proteger eventuais sítios arqueológicos, históricos, culturais e paleontológicos.

Parque Ecológico

A Klabin mantém um Parque Ecológico na Fazenda Monte Alegre, em Telêmaco Borba (PR), com atividades voltadas para a conservação da biodiversidade, a reabilitação de animais, preservação de espécies silvestres e em extinção, o desenvolvimento de pesquisas científicas e o apoio aos projetos de educação ambiental. Também serve de para abrigo para animais em situação de risco e que não possuem condições de voltar ao meio silvestre. Criado na década de 1980, o parque Ecológico da Klabin possui uma área de 11 mil hectares, sendo que 71% são formados de florestas naturais. Conta com cerca de 200 exemplares de 50 espécies animais que vivem no criadouro científico do parque. O Parque é uma Área de Alto Valor de Conservação (AAVC), o que significa que possui uma concentração significativa de valores relativos à biodiversidade e a ecossistemas raros, ameaçados ou em perigo de extinção.