FuturoRenovável

Ampliamos o foco em inovação e alta tecnologia para responder as demandas do mercado e buscar novos
ciclos de crescimento, visando desenvolver iniciativas voltadas à gestão sustentável e excelência operacional.

5 rotas de pesquisa e desenvolvimento

A inovação faz parte do nosso DNA e se faz presente em todas as áreas de atuação Klabin,
como um direcionador importante para a evolução de nossos negócios.

Desenvolvimento da
base florestal
Visa ao incremento da produtividade das
plantações e à melhoria da qualidade da matéria-
prima e de propriedades da madeira, como
densidade e teor de fibras. Essa frente agrega o
conhecimento relacionado a solos e clima onde a
empresa atua, impactos das variações climáticas,
uso de água, estudo de pragas e doenças que
possam afetar as plantações e outros aspectos
capazes de impactar o negócio florestal.
Desenvolvimento de
celulose
Essa linha tem como objeto a melhoria contínua
das celuloses de fibra curta (feita a partir de
eucalipto) e de fibra longa (feita a partir de pínus) e
da celulose fluff.
Linhas de papéis
O objetivo principal é o aumento de qualidade para
as linhas papéis cartões, sack kraft e kraftliner com
o desenvolvimento de propriedades que
contribuam no processo de redução de gramatura
desses papéis, melhoria na qualidade de impressão
e desenvolvimento de aplicações que confiram
barreiras à água, ar, vapores e óleos, por exemplo.
Novas tecnologias de
base florestal
Pesquisa de novas tecnologias ligadas à base
florestal, como o uso múltiplo dos componentes da
madeira (celuloses, hemiceluloses, lignina ou
extrativos), com vistas a desenvolver novas
possibilidades de produtos e mercados para a
Klabin, no médio prazo (5 a 10 anos). A empresa
tem investido tanto na linha de biorrefinaria
(biocombustíveis) como no desenvolvimento de
produtos com base em lignina e nas hemiceluloses
da madeira e na aplicação das próprias fibras de
celulose nas suas frações micro e nano - celulose
microfibrilada e celulose nanofibrilada.
Redução de impactos
ambientais
Linha de pesquisa voltada às questões ambientais,
desde mudanças climáticas até a redução do uso de
insumos no processo, como energia, água, vapor e
produtos químicos. Essa frente está mais ligada a
minimizar os impactos das operações da empresa
no meio ambiente, contribuindo para a
sustentabilidade.

Estratégia P&D+I

Nossa área de Pesquisa e Desenvolvimento + Inovação (P&D+I), se concentra em aperfeiçoar práticas e processos para garantir desenvolvimento de produtos diferenciados, mais competitivos, com redução de custos operacionais e biodegradáveis. Para isso, contamos com uma equipe de pesquisadores formada por mestres e doutores, que estão em busca diariamente das soluções mais inovadoras do setor.

Centro de Tecnologia

A Klabin conta com um time de pesquisadores divididos em dois espaços destinados à pesquisa para aperfeiçoamento da sua cadeia produtiva. Um, é o Centro de Pesquisa Florestal, na Lagoa, em Telêmaco Borba (PR), para estudos sobre o universo que envolve a cadeia florestal, como melhoramento genético, qualidade da madeira, estudo de solo e clima, adaptação genética, controle de pragas, biotecnologia entre outros. O outro Centro de Tecnologia, também em Telêmaco, tem como missão aprimorar a qualidade dos produtos, antecipando tendências e criando novas tecnologias e aplicações sustentáveis. Os profissionais trabalham buscando soluções para encontrar uma eficiência cada vez maior no volume de insumos consumidos para minimizar os impactos ao meio ambiente.

Bioeconomia

Acreditamos na bioeconomia. Por isso, queremos fomentar esse sistema, visando o
desenvolvimento e uso de produtos com menor impacto ambiental e que integrem esse circuito
fechado de cadeia produtiva.

Não sabe o que isso significa?

Bieconomia é uma economia focada na utilização de recursos sustentáveis ou com base biológica.

O que é Economia Circular

Economia Circular é desenvolvimento sustentável. Tudo que é extraído da natureza é reintegrado ao ecossistema sem geração de passivo.

E como nós fazemos nossa parte?

Áreas Plantadas

5 árvores plantadas por segundo e 214 mil hectares de florestas nativas, mais do que a soma das áreas dos municípios de São Paulo e Curitiba.

Preservação

Mantemos 48% de área florestal destinados à conservação e à manutenção da biodiversidade.

Reciclagem de Resíduos

Reciclagem de 91% de todos os resíduos gerados nas fábricas Monte Alegre e Puma (PR) pela central de resíduos, com capacidade de processar 44 mil toneladas por mês.

Menos Água

São 27 m3 de água consumidos por tonelada de celulose produzida, frente à média de 30 m3 por tonelada usualmente consumidos numa fábrica tradicional.

Energia Renovável

Capacidade de gerar 270 MW de energia limpa a partir do vapor produzido pelas caldeiras de licor negro e de biomassa, dando à Klabin condição de autossuficiência energética na unidade do Puma, e também disponibilização de até 120 MW para o Sistema Integrado Nacional, contribuindo para a limpeza da matriz energética brasileira.

Diferenciais no tratamento e descarga de efluentes

Inclusão de uma terceira etapa no tratamento na unidade do Puma garantindo padrões de emissões facilmente absorvíveis pelo corpo hídrico. Além disso, o ponto de descarga é anterior ao ponto de captação.

Matriz Energética

A participação de combustíveis renováveis em nossa matriz energética é de 89%, demonstrando que a sustentabilidade é um dos principais alicerces da gestão dos negócios da Klabin.

Biodiversidade

Identificamos em nossas florestas do Paraná cerca de 898 espécies de animais e 2021 espécies de plantas com 3200 km de corredores ecológicos. O intenso trabalho de preservação da biodiversidade, o emprego de práticas ambientalmente corretas no manejo florestal e o manejo adequado da paisagem, propiciam à Klabin um excelente aproveitamento do potencial de produção das florestas e a proteção dos recursos naturais.

Emissões de gases de efeito estufa (GEE)

A Klabin tem realizado um grande esforço para reduzir o uso de combustíveis fósseis e consequentemente a redução da emissão de GEE para a atmosfera. Nos últimos 15 anos reduzimos em 58% no específico de emissão de CO2eq/t de produto. O nosso balanço de CO2 é positivo, ou seja, capturamos mais CO2 da atmosfera através de nossas florestas do que as nossas operações industriais emitem, temos um saldo de 5,4 milhões de t de CO2eq.